allaboutarts

Bia Sion

Sou carioca da gema, de Copacabana. Nasci numa família onde a música sempre esteve no ar. Meu pai tocou saxofone e clarinete, mas muito antes de eu nascer ele vendeu seus instrumentos para comprar uma geladeira e foi ser comerciante ao lado de minha mãe.

Nasci no inicio dos anos 60, muitas mudanças estavam por vir. Cresci ouvindo Jazz, chorinho, Beatles, Carole King, James Taylor, Carpenters, Chico Buarque, Barry White, Yes, Pink Floyd, Jovem Guarda e os Festivais. Bem pequeninha, eu já cantava por trás das portas, no banheiro e fazia peças de teatro com personagens e publico imaginários. Brincava também de programa de calouros. Não lembro quando comecei a dedilhar escondido o violão do meu irmão e a imitar o que ele fazia nos ensaios da sua banda, na sala da minha casa. Depois ganhei um Di Giorgio e comecei a aprender a tocar, samba, bossa nova e até a Bourré de Bach.

Na escola me destacava cantando, tocando e fazendo palhaçadas para todos se divertirem. E dizia: "se eu não for artista não serei feliz". Participei de muitos festivais juvenis, fui à luta e aos 17 anos comecei tocando violão numa peça infantil no Teatro Glória."A princesinha mimada e o dragão Malvado".

Entrei pra faculdade de jornalismo, Facha, o que teve enorme valor pra mim. Cursei a Unirio, de teatro, mas apenas um ano e fui aprender teatro na prática ao lado de Silvia Orthof, um gênio do teatro infantil. Tocava violão, cantava e fazia personagens."Eu chovo, tu choves ele chove" no Teatro Senac.

Pronto! Estava dado o pontapé inicial para a minha profissionalização. Eu só queria estar no palco. Fazer o público se divertir. Nada era mais importante pra mim. Fiz um curso incrível com Camilla Amado que me apresentou Shakespeare por diversos olhares. Foi muito interessante, fiz de Julieta à Lady Macbeth.

Com Rubens Correa entrei em contato com Jung num curso de teatro inesquecível na CAL. Descobri no cinema Bob Fosse, Gene Kelly, Fred Astaire, Chaplin, Julie Andrews e Liza Minnelli. Meu sonho sempre foi fazer musicais.. "Cabaret" me marcou profundamente, e Liza era um ídolo pra mim. Fiz jazz, sapateado. Mas só conheci Nova York aos 37 anos.

Aqui no Rio assisti "Trate-me leão" do grupo Asdrubal Trouxe o Trombone e fiquei arrebatada. A partir de então, decidi que queria mesmo ser atriz, me interessava falar aquela língua, sobre aquelas coisas todas...

Fiz algumas aulas de dança com Lennie Dale, um luxo! E curti nos anos 80 os Dzi Croquettes, Cláudio Tovar, Wagner Ribeiro e Cláudio Gaya.. Eles também me inspiraram muito. Aquele jeito arrojado, irreverente e divertido de estar em cena. De transformar o lixo em luxo. De falar bobagem por pura diversão.

Fiz um teste para um musical cantando "New York, New York" que me abriu muitas portas. E estreei em teatro adulto em 1982 com "Band Age!" de Zé Rodrix e Miguel Paiva.

A Partir daí, "o Menino do dedo verde", "Sapatinho de Cristal - uma historia eterna" um mega sucesso no Teatro da Lagoa ao lado de Lucinha Lins. Eu era a madrasta, fazia um numero de sapateado com uma canção de Eduardo Dussek.

Depois Gloria Perez escreveu um papel pra mim na novela "Partido Alto" e até lancei uma moda de laços coloridos de filó, foi divertido isso.

Fiz teatro ao lado de Norma Bengell e Caíque Ferreira "Isadora & Oswald" de Aguinaldo Silva e depois parti em excursão pelo Brasil com a trupe de "Feliz Ano Velho". Marcos Frota, Denise del Vecchio, Lilia Cabral, Adilson Barros.

Na Manchete fiz "Dona Beija" e vários especiais. Na Globo um musical, "Cida, a gata roqueira", ao lado de Claudia Raia, Rita Lee, Evandro Mesquita e Tim Maia.

Na Manchete a novela "Carmem" também de Gloria Perez, com Lucélia Santos e Paulo Betti, fiz uma personagem que participou do programa de Silvio Santos "Namoro na TV" que fez parte da novela. Uma sacada genial da autora que também me rendeu bons frutos.

Depois, "Filumena Marturano" no Teatro dos Quatro, a ultima peça de Yara Amaral, com quem aprendi muito sobre a arte de representar, fiz "Musica divina Musica, a noviça rebelde" com Zezé Polessa e Luiz Armando Queirós.

Também produzi um show com texto e musicas minhas "Identifique-se" com direção de Cláudio Tovar..E foi uma experiência e tanto. Percorri muitos caminhos com "Os Saltimbancos" pelo Canecão nos anos 90 e vários outros lugares. Paralelo a isso, sempre me dediquei também a compor, a cantar mas nunca mostrei ao publico minhas composições. Acho que está na hora. Sempre me disseram que minhas musicas ficam na cabeça.

Enfim estou começando a produzir isso agora novamente e pretendo tirar meu trabalho da gaveta. Sempre me interessei por questões místicas e mergulhei em busca de auto conhecimento, o Tarot foi um veiculo. Hoje também dou consultas e aulas sobre isso, além de ter escrito um musical inspirado nas 22 cartas: "Gato -Rei" em fase de captação de recursos.

Fiz uma pausa na minha carreira por assuntos pessoais mas estou de volta, na ativa. Trabalho como locutora de chamadas na TV Multirio, faço publicidade e estou me preparando para os próximos trabalhos que estão por vir.

Sou atriz. Be-atriz. O nome já diz. Mas também sou cantora, locutora, escritora, produtora, taróloga e o que mais tiver que ser. Sou uma artista. E pretendo trabalhar muito, sempre.

Não consigo conceber a vida sem a arte. Sem arte viver não tem a menor graça.

Bia Sion


Copyright ©2000-2018 allaboutarts
Essa é uma versão do website para deficientes visuais - A versão normal está disponível em: http://www.allaboutarts.com.br


Voltar